Clube Austral

PortugueseEnglishSpanishRussian

Acompanhe nossas
Redes Sociais

PortugueseEnglishSpanishRussian

A Queda da ‘Meta’ é um Sinal de que a Bolha das ‘Big Techs’ Explodirá Em Breve?

Na última década, os acionistas deram muita atenção ao papel descomunal que as Big Techs desempenharam no mercado de ações dos EUA. Juntas, as 10 maiores ações representam cerca de um terço de toda a capitalização de mercado do índice S&P 500. Isso é um número muito maior ao da concentração observada no pico da bolha tecnológica no final do século 20.

“Meta”, empresa conhecida como “Facebook” antes do executivo-chefe, Mark Zuckerberg, decidir que seres humanos normais gostariam de se comunicar com seus amigos humanos normais na forma de bonecos estilo anos 90, fez, na última semana, um alerta sobre suas perspectivas a longo prazo, levando suas ações e o seu mercado para uma profunda crise econômica.

Segundo informações do ChannelNewsAsia, em um só dia, a empresa perdeu mais de 230 bilhões de dólares e suas ações caíram mais de 26%. A perda de valor é equivalente ao tamanho total da Intel ou do McDonald’s, e foi suficiente para produzir o pior dia para o índice geral S&P 500. É a maior queda em termos absolutos no valor de mercado de uma empresa estadunidense de todos os tempos.

Praticamente todos os investidores sensatos sabiam que 2022 seria mais difícil do que 2021, principalmente pelo fato de que agora os grandes bancos centrais estão recuando e retirando o “apoio” que injetaram no sistema financeiro quando a “pandemia do covid” começou, evitando assim, pelo menos por enquanto, uma gigante crise inflacionária global.

Desde dezembro de 2021 ficou muito claro que o FED recuou, por hora, em suas metas inflacionárias para a criação de uma nova moeda única global. Para corrigir os problemas já causados na economia, ele está prestes a aumentar significativamente as taxas de juros e não pretende intervir caso os mercados acabem sofrendo uma crise imediata quando isso acontecer, e isso compromete drasticamente a “gordura” que se acumulou nos mercados financeiros nos últimos dois anos.

Grande parte dos ganhos das Big Techs não são em virtude da lucratividade do setor, mas em virtude dos frutos das especulações generalizadas e do vasto fluxo monetário nos mercados de ações.

Isso significa que muitos gestores de fundos que pensam terem feito apostas astutas no “futuro da economia global” são, na verdade, meros especuladores como todos os outros.

Junto com a Meta, outras Big Techs como o Twitter, SnapChat e Pinterest fecharam em baixa na última quinta-feira, arrastando consigo o índice Nasdaq para baixo de 4,2%.

Além dos problemas econômicos, as Big Techs vem enfrentando forte rejeição no mundo todo devido a sua falta de compromisso com a liberdade de expressão, medidas de censura e manipulação de informações, vazamento e venda de dados que deveriam ser privados, parcialidade extrema, falta de ética profissional e muitas outras acusações.

Coletivo de Membros do Clube Austral.