Clube Austral

PortugueseEnglishSpanishRussian

Acompanhe nossas
Redes Sociais

PortugueseEnglishSpanishRussian

Como Aumentar a Qualidade do Ensino?

Quem nunca frequentou uma aula com um professor chato?

William Shakespeare pode ter sido um ótimo escritor. Ele criou as peças, mas ele foi um ator como Robert De niro*(1) ? E algum deles foi o melhor cameraman? Algum deles foi o melhor editor de vídeos da história? Algum deles foi o melhor diretor do mundo? melhor cenógrafo? microfonista? técnico de som? Efeitos especiais? ….

Perceba como mercado de entretenimento tem filmes excelentes*(2) e como o sistema de ensino se mantém defasado!

Embora seja necessário conhecer o que você está falando para poder apresentar bem, não é necessário você fazer uma faculdade, mestrado e doutorado em matemática para poder apresentar bem uma aula sobre contas de mais e menos. 

Simplesmente são outras habilidades. 

Claro que, quanto mais complexa for a atividade, mais difícil seria para uma pessoa sem o conhecimento específico poder transmiti-lo. Mas isto, em nenhum momento, anula o fato de que, para dar aulas não é relevante uma grande formação na área a ser apresentada; é imprescindível uma ótima apresentação da mesma.

O modo que selecionamos bons expositores é errado. Exigimos mais e mais estudo relacionado ao tema e menos estudo para exposição. Não adianta fazer licenciatura, isso só eleva os custos, é como se você acreditasse que, porque uma pessoa trabalha com medicina e tem “boas mãos” seria ótimo na arte da pintura. Sim, ambas usam as mãos, mas são habilidades diferentes. Apresentar e saber pedem por conhecimento, mas ambas são habilidades diferentes. Estamos exigindo duas habilidades.

Há quem fale que para apresentar conteúdos complexos só basta compreender o “padrão” e expô-lo sem muita variação do original, mas com muito mais recursos. O que exigiria um preparo de “um dia”(3) em vez de 10 anos para apresentar muito bem um tema.

Se quiséssemos que o custo de uma aula fosse baixo, qualquer um que estudou um pedacinho do conteúdo poderia apresentar, criando uma grande facilidade para poder trabalhar, retirando o custo de entrada, as “barreiras”. O livre ensino e o aprendizado foram impedidos. Através do estado, via regulação, impossibilita que pessoas sem uma vasta especialização formal pudessem fornecer, sob demanda, aulas específicas na universidade e ganhar dinheiro com isso, além de claro, fornecer credibilidade para os estudantes. Mas esse é outro problema…

Voltando para a realidade, já pensou se ambos pessoa com o conhecimento e pessoas com habilidades compatíveis à apresentação trabalhassem em equipe? Qual seria o limite da qualidade da apresentação? Qual seria o limite da qualidade de uma aula?

Numa aula online (gravada) a mesma pode ser ensaiada e repetida inúmeras vezes. Pode-se agregar efeitos especiais, editar etc. O que as torna potencialmente muito mais agradáveis do que aulas presenciais. No futuro*(4),  uma pessoa que não tem um conhecimento profundo pode pedir a participação de alguém que sabe,  para construírem juntas as melhores apresentações.

As dúvidas podem ser retiradas sob demanda de alguém que sabe, mas até mesmo elas podem ser catalogadas e ter uma melhoria nas suas apresentações.

Nada escapa.

Vamos focar no que sabemos fazer de melhor e trocar com os demais assim gerando o máximo de produtividade como sociedade.

*(1) Ou qualquer ótimo ator que você preferir.

*(2) No quesito de apresentação e não em filmes com ótimos escritos.

*(3) Algum pequeno tempo de preparo.

 *(4)  As aulas presenciais podem elevar a qualidade também, à que custo? Seria viável ter um sistema presencial dessa qualidade elevada para todos? Eu diria que seria um luxo.

Formado pelo Instituto Adventista Cruzeiro do Sul, Giuseppe Goveia é Fundador da Plataforma…