Clube Austral

PortugueseEnglishSpanishRussian

Acompanhe nossas
Redes Sociais

PortugueseEnglishSpanishRussian

O Zoólito de Tubarão Pelotense

A cidade de Pelotas, no Rio Grande do Sul, Brasil, não é conhecida apenas por ser a cidade onde o Clube Austral foi fundado, mas também por ser um polo cultural (não um polo exportador de veados, segundo a vergonhosa fala homofóbica do ex-presidente Silva).

Sua rica cultura não está apenas na esplendorosa arquitetura europeia espalhada por toda a cidade, mas também em sua importância geográfica, arqueológica e pré-colonial.

Dentre sua importante arqueologia primitiva, podemos destacar o famoso Zoólito de Tubarão, descoberto durante a construção de um galpão no ano de 1980, próximo à Lagoa do Fragata.

Entre os objetos encontrados, além do Zoólito de Tubarão e outro em formato de Ave Columbiforme, haviam duas Bolas de Boleadeiras Mamilares.

“É claro que outros objetos, como vasilhas de cerâmica e ossos, possivelmente humanos, também foram encontrados, mas infelizmente acabaram descartados por não apresentarem o mesmo valor estético”

Rafael Guedes – Professor do Curso de Antropologia e Arqueologia da UFPEL
(a) Zoólito de Tubarão – (b) Zoólito de Ave Columbiforme – (c) Bolas de Boleadeiras Mamilares

Os artefatos foram doados por Carla Costa, e atualmente fazem parte do acervo do LEPAARQ – Laboratório de Ensino e Pesquisa em Antropologia e Arqueologia da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL).

Estes materiais líticos foram produzidos em pedra e polidos com areia e água, fazendo parte do contexto arqueológico indígena das Culturas Sambaquieiras e dos Grupos Construtores de Cerritos que habitavam as Zonas Hídricas Alagadiças da região.

O Zoólito de Tubarão em diferentes perspectivas.

Em dezembro de 2014, a Equipe do LEPAARQ, sob a Coordenação do Professor Rafael Guedes, iniciou o projeto “Arqueologia e História Indígena do Pampa: Estudo das Populações Pré-Coloniais na Bacia Hidrográfica da Laguna dos Patos e Lagoa Mirim”, realizando escavações arqueológicas no mesmo local onde foram encontrados os artefatos, identificando e mapeando sete Cerritos Pré-coloniais, todos no entorno da Lagoa do Fragata e da Várzea do Canal São Gonçalo.

Na zona situada na parte traseira do Campus da UFPEL no Capão do Leão, entre a Mineradora de Areia e a Eclusa, foram encontrados pedaços de Cerâmica Guaraní e vestígios faunísticos de Ossos de Miraguaia.

As descobertas apontaram a existência de grupos distintos na região: os Charruas e Minuanos, em um período mais antigo, e os Guaranis, em um período mais recente, mas ainda pré-colonial.

Tubarão Artesanal Indígena Pelotense Feito em Madeira.
FICHA TÉCNICA:

A peça é inventariada sob o código AMAA000024 ou 08.00.008, denominada oficialmente "Zoólito de Tubarão". Seu resumo descritivo é "Zoólito de Tubarão Branco, associado a uma coleção composta por outro Zoólito de Ave Columbiforme, Machado Polido, dois Bastonentes Polidos, uma Mão de Mó e duas Bolas de Boleadeira Mamilares. Coleção encontrada na região da Lagoa do Fragata, onde são conhecidos onze Cerritos". Suas dimensões são 59x27cm. Material serpentinito, polido e picoteado. Coleção doada por Carla Rosane Duarte Costa. Datado de aproximadamente mil anos atrás. Sua função era provavelmente ritualística, podendo ter sido usado para rituais envolvendo Ayahuasca. Alguns afirmam que suas proporções excessivamente retas, em especial o formato de suas nadadeiras, sugerem uma referência a uma espécie de submarino.
Cartão Postal Comemorativo do Dia do Patrimônio Pelotense.

Formado em Direito pela Universidade Católica de Pelotas, tendo sido aprovado no Exame da…